FALE CONOSCO

Preencha o formulário.




sobre a riomédica

SOBRE NÓS
Desde 1967 a Riomédica busca por inovação em produtos da linha médica hospitalar para atender nossos clientes com o que há de melhor e mais moderno no mercado.
Nosso foco principal é a busca por produtos que reabilitem e devolvam as pessoas ao convívio social e melhora na qualidade de vida.
Temos um olhar muito especial na humanização do atendimento de nossos colaboradores, na responsabilidade com a vida e no conhecimentos técnico dos produtos que comercializamos.
Oferecemos soluções para hospitais, laboratórios, clínicas, consultórios, academias, centros de estética e beleza, profissionais da área da saúde e aqueles que trabalham ou necessitam recuperação e bem-estar pessoal.

parceiros

Siga-nos no Instagram

Também conhecido como neoplasia, o câncer de mama é caracterizado pelo crescimento de células cancerígenas na mama. 

Apesar dos dados alarmantes, sua ocorrência é relativamente rara antes dos 35 anos e nem todo tumor é maligno – a maioria dos nódulos detectados na mama é benigna. 

Na fase inicial o tumor pode ser muito pequeno, podendo ter menos de um centímetro de tamanho, nesse caso, a doença só será detectada por um exame de imagem, como a mamografia. Por isso, é importante que a mulher vá ao ginecologista ao menos uma vez por ano e faça seus exames de rotina periodicamente.

Apesar de não ter uma prevenção comprovadamente eficaz, há muitas formas de diminuir o risco de desenvolvimento do câncer de mama! E essas atitudes são especialmente importantes para mulheres com certos precedentes, como histórico familiar forte ou alterações genéticas.

O câncer de mama diagnosticado na fase inicial tem até 95% de chances de cura. Por isso, é extremamente importante estar em dia com os exames de rotina e, para mulheres acima de 40 anos, 
fazer a mamografia preventiva anualmente – ela é considerada um dos procedimentos mais eficazes na detecção precoce do câncer de mama. 

A conscientização do câncer de mama e o investimento em novas pesquisas sobre o tema ajudaram a criar diversos avanços no diagnóstico e tratamento da doença. 

Hoje, o câncer de mama não é mais uma sentença – a taxa de cura é cada vez mais alta e a paciente pode levar sua rotina com qualidade de vida e bem-estar.

Curta, Comente e Compartilhe.

RIOMÉDICA
www.gruporiomedica.com.br
(17) 3234-3460
(17) 99701-5459
Também conhecido como neoplasia, o câncer de mama é caracterizado pelo crescimento de células cancerígenas na mama. Apesar dos dados alarmantes, sua ocorrência é relativamente rara antes dos 35 anos e nem todo tumor é maligno – a maioria dos nódulos detectados na mama é benigna. Na fase inicial o tumor pode ser muito pequeno, podendo ter menos de um centímetro de tamanho, nesse caso, a doença só será detectada por um exame de imagem, como a mamografia. Por isso, é importante que a mulher vá ao ginecologista ao menos uma vez por ano e faça seus exames de rotina periodicamente. Apesar de não ter uma prevenção comprovadamente eficaz, há muitas formas de diminuir o risco de desenvolvimento do câncer de mama! E essas atitudes são especialmente importantes para mulheres com certos precedentes, como histórico familiar forte ou alterações genéticas. O câncer de mama diagnosticado na fase inicial tem até 95% de chances de cura. Por isso, é extremamente importante estar em dia com os exames de rotina e, para mulheres acima de 40 anos, fazer a mamografia preventiva anualmente – ela é considerada um dos procedimentos mais eficazes na detecção precoce do câncer de mama. A conscientização do câncer de mama e o investimento em novas pesquisas sobre o tema ajudaram a criar diversos avanços no diagnóstico e tratamento da doença. Hoje, o câncer de mama não é mais uma sentença – a taxa de cura é cada vez mais alta e a paciente pode levar sua rotina com qualidade de vida e bem-estar. Curta, Comente e Compartilhe. RIOMÉDICA www.gruporiomedica.com.br (17) 3234-3460 (17) 99701-5459
Doenças autoimunes é toda doença que ataca o sistema imunológico contra uma estrutura do próprio organismo, ou seja, uma resposta autoimune.

Todo mundo aprende na escola que o sistema imunológico existe para combater ameaças externas, como vírus e bactérias.

Ao “visualizar” esses agentes, produz anticorpos com o objetivo de atacá-los.

Em alguns casos, no entanto, o general desse exército confunde células do próprio organismo com invasores.
Mas, apesar do processo em comum, cada doença autoimune tem suas próprias características, ritmo evolutivo e sintomas específicos.

Segundo os especialistas, existem variantes genéticas conhecidas que predispõem parte da população às doenças autoimunes.

Ou seja, algumas pessoas nunca vão desenvolver o problema, enquanto algumas famílias podem ter diversos membros com diferentes tipos de doenças autoimunes.

Mas ter a tendência não significa ter a enfermidade – é preciso que haja um fator ambiental que deflagre a doença.

Aproximadamente 75% das pessoas que sofrem de doenças autoimunes são mulheres, a justificativa mais aceitável para essa desigualdade é o fator hormonal.

Embora toda doença autoimune seja crônica, algumas pessoas apresentam sintomas mais leves, enquanto outras têm manifestações tão intensas que, em certos casos, podem levar à morte.

É importante que os pacientes diagnosticados busquem ter uma vida equilibrada, com atividade física, nutrição adequada e sono suficiente.

RIOMÉDICA
www.gruporiomedica.com.br
(17) 3234-3460
(17) 99701-5459
Doenças autoimunes é toda doença que ataca o sistema imunológico contra uma estrutura do próprio organismo, ou seja, uma resposta autoimune. Todo mundo aprende na escola que o sistema imunológico existe para combater ameaças externas, como vírus e bactérias. Ao “visualizar” esses agentes, produz anticorpos com o objetivo de atacá-los. Em alguns casos, no entanto, o general desse exército confunde células do próprio organismo com invasores. Mas, apesar do processo em comum, cada doença autoimune tem suas próprias características, ritmo evolutivo e sintomas específicos. Segundo os especialistas, existem variantes genéticas conhecidas que predispõem parte da população às doenças autoimunes. Ou seja, algumas pessoas nunca vão desenvolver o problema, enquanto algumas famílias podem ter diversos membros com diferentes tipos de doenças autoimunes. Mas ter a tendência não significa ter a enfermidade – é preciso que haja um fator ambiental que deflagre a doença. Aproximadamente 75% das pessoas que sofrem de doenças autoimunes são mulheres, a justificativa mais aceitável para essa desigualdade é o fator hormonal. Embora toda doença autoimune seja crônica, algumas pessoas apresentam sintomas mais leves, enquanto outras têm manifestações tão intensas que, em certos casos, podem levar à morte. É importante que os pacientes diagnosticados busquem ter uma vida equilibrada, com atividade física, nutrição adequada e sono suficiente. RIOMÉDICA www.gruporiomedica.com.br (17) 3234-3460 (17) 99701-5459